Benefícios da inclusão de microalgas na nutrição animal
 
12 nov 2021

Benefícios da inclusão de microalgas na nutrição animal

A demanda por alimentos alternativos e que sejam produzidos de forma sustentável é crescente. Algumas opções já são conhecidas, como o uso de insetos nas rações. Neste artigo, falaremos sobre uma promissora alternativa, as microalgas na nutrição de animais de produção.

As microalgas são amplamente reconhecidas como matéria-prima de terceira geração para a produção de biocombustíveis, devido à sua alta eficiência fotossintética, alta produtividade de área e adaptabilidade ambiental superior.

Porém, a indústria de alimentação está investigando cada vez mais os potenciais deste novo ingrediente, principalmente por seu alto teor de proteína e valor nutritivo.

Microalgas com alto teor proteico são consideradas uma alternativa sustentável para proteínas animais em rações. Outro fator relevante, é a facilidade de produção. As microalgas são superiores às plantas terrestres para a produtividade da biomassa e não estão sujeitas à interferência com recursos agrícolas, como terra arável e água.

O USDA (United States Food and Drug Administration) classificam algumas algas com o GRAS (geralmente considerado seguro). Deste modo, garante que estas algas não possuem toxinas endógenas e são seguras para consumo humano e animal dentre elas pode-se citar:

  • Chlorella vulgaris
  • Chlamydomonas reinhardtii
  • Arthrospira platensis
  • Auxenochlorella protothecoides
  • Euglena gracilis
  • Dunaliella bardawil

Membros dos gêneros Arthrospira, Chlorella e Nannochloropsis são utilizados principalmente para aplicações em rações animaisTetraselmis, Pavlova, Isochrysis, Chlorella, Nannochloropsis, Phaeodactylum, Skeletonema, Chaetoceros, Thalassiosira e Haematococcus são tipicamente usados ​​como ração na aquicultura.

Tanto do ponto de vista da segurança quanto do meio ambiente, as microalgas são ingredientes alimentares eficazes. Atualmente, cerca de 22.000–25.000 toneladas de biomassa de microalgas são produzidas para nutrição humana e animal, e cerca de 30% disso é adquirido para a produção de rações.

 

Composição da biomassa de microalgas – componentes do valor nutritivo e funcional na alimentação animal/aquicultura

Os principais constituintes das microalgas por seu papel como ingrediente especial para rações são o alto teor de proteína, pigmentos benéficos e carotenóides, como clorofila, luteína, astaxantina e β-caroteno, ácidos graxos poliinsaturados, valiosos compostos farmacêuticos e nutracêuticos, vitaminas e minerais.

Os benefícios gerais para a saúde da suplementação de farinha de algas em rações para animais e aquicultura são listados abaixo:

Suplementação geral de biomassa microalgal na ração:

  • Maior ganho de peso, taxa de crescimento específica, taxa de conversão alimentar e melhores taxas de sobrevivência em animais de criação
  • Melhor digestibilidade da ração
  • Melhora na resposta imunológica
  • Melhoria da qualidade nutricional e sensorial da carne
  • Propriedades anti-lipidêmicas, anti-glicêmicas, cardioprotetoras, antioxidantes e anti-hipertensivas melhoram a qualidade de vida dos animais de criação

 

Carboidratos microalgais:

  • Fonte metabólica primária de energia
  • Principal constituinte da energia líquida e da energia metabolizável em formulações de rações
  • Benefícios farmacêuticos e nutracêuticos de polissacarídeos/oligossacarídeos bioativos

 

Lípidos de microalgas:

  • Fonte de energia
  • Fonte primária de gordura para engorda

 

Proteínas microalgais:





NOVIDADES

 

REVISTA

Revista nutriNews Brasil 3 TRI 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 





Veja outras revistas



 

Cadastro Newsletter nutriNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

nutriTips
nutriNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies