Efeito do tempo de incubação sobre o consumo e crescimento de pintinhos Efeito do tempo de incubação sobre o consumo e crescimento de pintinhos
 
23 mar 2021

Efeito do tempo de incubação sobre o consumo de ração, desenvolvimento de órgãos e crescimento em pintinhos

A forma convencional de incubação de frangos de corte pode não ser ideal do ponto de vista biológico. Mesmo que todos os ovos sejam colocados na incubadora ao mesmo tempo no incubatório, os pintinhos eclodem ao longo de um período, dependendo da variação biológica e do tempo de armazenamento dos ovos. Este período é frequentemente referido como janela de incubação e varia de 24 a 48 h. Embora existam novos conceitos de incubação em uso, permitindo o fornecimento de alimento e água para o pintinho recém-nascido, a transição para essas práticas de incubação começou recentemente. Portanto, em condições comerciais, uma ampla janela de incubação aumentará o tempo para a primeira ingestão de ração e água no local de criação.

Na saída do incubatório, quando a maioria dos pintinhos eclodem, as rotinas de manejo, o carregamento e transporte aumentam o atraso na alimentação. Alguns pintinhos podem ser privados de alimentação por até 72 horas na chegada ao local de criação. Embora a gema residual forneça nutrientes ao pintinho imediatamente após a eclosão, o acesso tardio à ração e à água demonstrou ter efeitos adversos no crescimento inicial do pintinho, na proliferação de células musculares, na utilização do saco vitelino, no desenvolvimento do trato gastrointestinal e na imunidade.

Pensando nisso, pesquisadores avaliaram os efeitos do tempo de incubação no tempo para o primeiro consumo de ração e desenvolvimento de órgãos, enzimas digestivas e produtividade – em termos de crescimento e taxa de conversão alimentar – em pintinhos nascidos na granja. Os pintinhos foram divididos em três grupos de incubação (precoce, intermediário e tardio) e avaliados ao longo de um ciclo de produção completo de 34 dias.

Peso corporal e desenvolvimento de órgãos na eclosão

Os dados coletados de uma amostra de pintinhos imediatamente após a eclosão mostraram que não houve diferenças entre os grupos de incubação em relação ao peso corporal (PC), massa corporal sem gema, saco vitelino, comprimento do pintinho, coração, fígado, moela e proventrículo. No comprimento, os recém-nascidos tardios tinham um intestino delgado mais curto em relação ao peso vivo do que os recém-nascidos precoces e intermediários. Além disso, houve uma diferença no peso do embrião entre os grupos de incubação, com o grupo intermediário tendo uma bursa de fabricius relativamente mais pesada do que o grupo de incubação inicial.                                                                                                         

Crescimento, taxa de conversão alimentar e desenvolvimento de órgãos 

Durante o período de crescimento, o intestino delgado foi o único parâmetro que diferiu entre grupos de incubação, com pintinhos nascidos precocemente tendo peso intestinal relativo significativamente menor do que os recém-nascidos tardios e uma tendência para pesos intestinais mais baixos do que os recém-nascidos intermediários. Aos 34 dias de idade, os pintinhos precoces eram mais pesados do que os pintinhos de intermediários e tardios, resultando em uma interação entre o grupo de incubação e a idade.

Atividade de ingestão

A atividade alimentar foi maior no grupo de incubação tardia do que no grupo de incubação precoce. Um nível de atividade alimentar de 5% (ou seja, quando 5% das aves estavam comendo ou em pé perto do comedouro) foi alcançado na idade biológica (IB) de 21,7 h no grupo de incubação tardia, 25,1 h no grupo de incubação intermediário e 29,5 h grupo de incubação precoce. Portanto, uma atividade alimentar de 5% foi observada primeiro a uma IB média de 25,4 h.

Conclusão

O tempo de nascimento afetou alguns dos parâmetros estudados. Houve diferença nos pesos dos órgãos na eclosão, mas que não persistiram ao longo do ciclo de produção. Nem as diferenças nos pesos dos órgãos se refletiram nas diferenças de PC, porque as diferenças de PC não eram mais aparentes aos 10 dias de idade. Embora houvesse algumas diferenças no comportamento alimentar inicial, os pintinhos pareciam capazes de compensar isso durante o período de crescimento.

 

Fonte: M. Boyner, E. Ivarsson, M. Andersson Franko, M. Rezaei, H. Wall, Effect of hatching time on time to first feed intake, organ development, enzymatic activity and growth in broiler chicks hatched on-farm, Animal, Volume 15, Issue 2, 2021, 100083, ISSN 1751-7311, https://doi.org/10.1016/j.animal.2020.100083.

Disponívlel aqui




REVISTA NUTRINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

 





Veja outras revistas



 

Cadastro Newsletter nutriNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

nutriTips
nutriNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies