Efeitos da amônia na microbiota intestinal de frangos de corte Efeitos da amônia na microbiota intestinal de frangos de corte
 
17 ago 2021

Efeitos da amônia na microbiota intestinal e no desempenho zootécnico de frangos de corte

A amônia (NH3) é o principal gás alcalino em aviários, é emitida principalmente pela degradação da cama que contém nitrogênio não utilizado e afeta negativamente o desempenho das aves. Estudos demonstraram que um ambiente com alto teor de amônia tem efeitos tóxicos em órgãos como:

  • trato respiratório
  • baço
  • fígado
  • intestino
  • cérebro

Além disso, concentração de amônia acima de 25 ppm reduz o ganho de peso, o consumo de ração e as taxas de conversão alimentar em frangos de corte, patos e suínos. Por exemplo, em um estudo, seis suínos foram expostos à amônia (88,2 – 90,4 mg m-3) por 30 dias (8 h/dia); os resultados mostraram que a amônia pode causar alterações nos marcadores inflamatórios na diversidade da microflora intestinal em suínos de engorda.

Após a exposição dos frangos à amônia, existem várias rotas possíveis de interações entre a amônia e a microflora intestinal que podem alterar a composição bacteriana intestinal. Essa exposição ocorre, por exemplo, quando o trato gastrointestinal recebe partículas como a PM 2,5, cuja amônia desempenha um papel significativo na formação, por inalação e ingestão. Além disso, a amônia entra no sistema circulatório via trato respiratório, o que acaba alterando o ambiente luminal, bem como a composição bacteriana do intestino.

Com o objetivo de investigar a influência da amônia na microflora intestinal de frangos e se essa influência é relacionada ao desempenho zootécnico, pesquisadores do Institute of Animal Sciences da Chinese Academy of Agricultural Sciences realizaram um experimento que teve seus resultados publicados recentemente na revista científica Animals. Os principais destaques do estudo estão descritos abaixo.

O estudo foi conduzido com 288 frangos de corte até 21 dias de idade. Os frangos foram divididos em 4 grupos, alojados em câmaras climáticas, cada grupo foi submetido a um tratamento distinto, sendo eles:

  • 0 ± 3 ppm de NH3
  • 15 ± 3 ppm de NH3
  • 25 ± 3 ppm de NH3
  • 35 ± 3 ppm de NH3

 

Desempenho zootécnico 

Foi observado que, para todos os parâmetros mensurados os frangos submetidos a  35 ± 3 ppm de NH3 tiveram os piores resultados, com diferenças estatisticamente significativas em relação aos demais grupos. Esses frangos demostraram em menor consumo de ração, maior conversão alimentar, menor ganho de peso e peso corporal, em todos os períodos avaliados, 0-7, 0-14, 0-21 dias.

A única exceção foi observada para consumo de ração de 0 a 7 dias, em que não foram observadas diferença estatística entre os grupos, apenas diferença numérica.

Além disso, no experimento, foi observado uma redução no desempenho de crescimento no grupo de amônia 25 ppm além do grupo de 35 ppm, como anteriormente relatado.

 

Efeitos da amônia na microflora intestinal 
Os resultados do estudo mostraram que uma variedade microbiana colonizava o ceco de frangos de corte e que ocorreu uma diferença significativa na composição e estrutura da microflora intestinal entre os dois grupos, indicando que a exposição à amônia pode induzir mudanças na relação simbiótica dos microrganismos.

A exposição à amônia mudou a diversidade beta, mas não mudou a diversidade alfa da microbiota, indicando que a amônia altera a composição das espécies, mas dificilmente influencia a riqueza e uniformidade das espécies. Os resultados do estudo mostraram que Firmicutes, Bacteroidetes e Proteobacteria foram os filos mais dominantes no ceco de frangos de corte entre os dois grupos, o que foi consistente com estudos anteriores.

Em outros experimento foi relatado que a altura das vilosidades e a profundidade da cripta no intestino delgado eram muito menores em frangos de corte após exposição a 75 ppm de amônia. Danos na estrutura intestinal causados ​​pela amônia possivelmente promovem a proliferação de Escherichia-Shigella.

 

Os autores concluíram que a exposição à amônia causou alterações na estrutura da microflora cecal. No nível de gênero, descobriram que várias espécies foram positivamente ou negativamente correlacionadas com o desempenho de crescimento.

 

Complemente seu conhecimento, leia também!

Enzimas exógenas: uma ferramenta na manutenção da saúde intestinal de frangos de corte

 

 

As informações desse texto foram retiradas do artigo intitulado “Effects of Ammonia on Gut Microbiota and Growth Performance of Broiler Chickens“, de autoria de:

State Key Laboratory of Animal Nutrition, Institute of Animal Sciences, Chinese Academy of Agricultural Sciences, Beijing 100193, China

 

Para consultar o artigo completo, clique aqui!

HAN, Hongyu et al. Effects of Ammonia on Gut Microbiota and Growth Performance of Broiler Chickens. Animals, v. 11, n. 6, p. 1716, 2021.




NOVIDADES

 

REVISTA

Revista nutriNews Brasil 2 TRI 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 





Veja outras revistas



 

Cadastro Newsletter nutriNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

nutriTips
nutriNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies