Exportações da piscicultura neste ano já são superiores às de 2020
 
18 out 2021

Exportações da piscicultura brasileira neste ano já são superiores às de 2020

 As exportações brasileiras da piscicultura nos três primeiros trimestres deste ano já são 10% maiores do que as verificadas em todo 2020. “Acredito que as exportações de 2021 podem apresentar um crescimento de pelo menos 15% comparadas com as do ano passado”, projeta Manoel Pedroza, pesquisador da Embrapa Pesca e Aquicultura (Palmas, TO) na área de economia aquícola.

Em 2020, as exportações totalizaram U$ 11,7 milhões; esse valor foi 4,4% superior ao verificado no ano anterior. Já nos nove primeiros meses de 2021 (de janeiro a setembro), o país exportou produtos da piscicultura no valor total de U$ 12,8 milhões. O terceiro trimestre deste ano teve valores financeiros 71% maiores do que os verificados no mesmo período de 2020.

 

Entre as categorias de produtos exportados, os peixes inteiros congelados apresentaram os maiores volumes no terceiro trimestre, com US$ 2,5 milhões e alta de 112% no comparativo com o trimestre anterior (Tabela 1). Os filés frescos ou refrigerados foram a segunda categoria mais exportada, com US$ 1,3 milhão e aumento de 41%. Merece destaque o forte crescimento das exportações de filés congelados (236%).

 

Tilápia é destaque
Um dos dados que chamam a atenção é a liderança já consolidada da tilápia como principal espécie exportada: apenas de julho a setembro deste ano, foram U$ 4,9 milhões. Somando-se os três trimestres, as exportações brasileiras de tilápia chegaram a U$ 10,9 milhões, que significaram 85% do valor de todo o peixe exportado pelos produtores brasileiros no período.

De acordo com Manoel, “a posição da tilápia como principal espécie exportada é uma tendência consolidada e que deve se manter no médio prazo, apesar da perspectiva de crescimento das exportações de outras espécies como o tambaqui”. Tanto no terceiro trimestre como em todo o ano, essa foi a terceira espécie mais exportada; entre o tambaqui e a líder tilápia, estão os curimatás, com 10% das exportações.

Os Estados Unidos foram o destino de 54% dos peixes exportados pelo Brasil neste ano. Em valores financeiros: U$ 7 milhões. Na sequência, vem a China, com mais de U$ 1,5 milhão ou 12% das exportações brasileiras. Comparando-se o terceiro e o segundo trimestres deste ano, houve crescimento de 43% nos valores das exportações da piscicultura brasileira.

“Quanto ao mercado dos Estados Unidos, acredito que poderá haver uma diversificação dos destinos, o que pode reduzir a dependência das vendas para esse país. Por exemplo, temos verificado um aumento das exportações para países sul-americanos como Peru, Colômbia e Chile, que juntos já importam mais de 20% dos embarques da piscicultura”, projeta o pesquisador da Embrapa.

 

Serviço:

O que: Informativo Comércio Exterior da Piscicultura – sétima edição (referente ao terceiro trimestre de 2021)

Onde acessarhttps://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/1135383/1/InfComExPisci-07.pdf

O informativo é um produto do BRS Aqua, amplo projeto de pesquisa em aquicultura coordenado pela Embrapa Pesca e Aquicultura e do qual participam mais de 20 Unidades e cerca de 270 empregados da Embrapa. Considerado estruturante, o projeto tem ações em várias áreas do conhecimento e possui também forte caráter de capacitação de recursos humanos especializados em aquicultura.

São três as fontes de financiamento: o Fundo Tecnológico do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Funtec/BNDES); a Secretaria de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SAP/Mapa), recurso que está sendo executado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); e a própria Embrapa.

Fonte: Clenio Araujo | Embrapa Pesca e Aquicultura




NOVIDADES

 

REVISTA

Revista nutriNews Brasil 3 TRI 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 





Veja outras revistas



 

Cadastro Newsletter nutriNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

nutriTips
nutriNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies