Exportações impulsionam a aquicultura brasileira
 
30 dez 2021

Exportações impulsionam a aquicultura brasileira

Exportações impulsionam a aquicultura brasileira com isso, a aquicultura vem ganhando mais espaço na economia do nosso país. Segundo dados da PEIXEBR (Associação Brasileira da Piscicultura), a atividade cresceu, em média, 4% ao ano, entre 2013 e 2020.

Exportações impulsionam a aquicultura brasileira

Dentro desse setor, o cultivo de peixes ganha destaque. Hoje é considerado o segmento mais importante do mercado de aquicultura – somente em 2020 produziu 802 mil toneladas.

O crescimento desse mercado está relacionado ao aumento do consumo de peixes na dieta alimentar das pessoas. Segundo dados de um relatório da Organização das Nações Unidas para a Agricultura (FAO), os peixes representam 15% da dieta de proteína de origem animal do consumidor.

Outro fator que explica a expansão desse mercado é a profissionalização do setor, de acordo com o pesquisador da Embrapa, Manoel Pedroza, com a entrada de médias e grandes empresas, além de cooperativas, que operam com grandes volumes e alta tecnologia.

Segundo o CIAqui (Centro de Inteligência e mercado da Aquicultura da Embrapa), até novembro deste ano, as exportações da piscicultura já totalizam US$ 17,4 milhões, aumento de 47% se comparado com os 12 meses de 2020 – US$ 11,8 milhões. O destino principal são os Estados Unidos, importando 54% do total vendido.

Dados mais recentes das exportações da piscicultura brasileira totalizaram U$S 5,7 milhões no 3º trimestre de 2021, o que representa um aumento de 71% comparado com o mesmo período de 2020. No comparativo com o 2º trimestre de 2021, o aumento foi de 43%.

No acumulado de janeiro a setembro de 2021, as exportações já totalizam US$ 12,8 milhões. Os filés frescos ou refrigerados foram a segunda categoria mais exportada, com US$ 1,3 milhão e aumento de 41%. Merece destaque o forte crescimento das exportações de filés congelados (236%).

Para o pesquisador da Embrapa, a aquicultura do Brasil continuará se expandindo nos próximos anos, tanto pelo crescimento doméstico, quanto pelas exportações.

“No Brasil, o preço dos pescados no varejo ainda é uma barreira importante para o aumento do consumo, mas existe uma tendência de redução dos valores a partir do aumento da escala de produção e da automação das empresas, seja nas fazendas de engorda, como nas indústrias de processamento”.

 

Prática sustentável

Exportações impulsionam a aquicultura brasileiraCom a expansão da aquicultura, novas empresas estão entrando nesse mercado e garantindo práticas sustentáveis para o setor. A JBS, líder global em produção de alimentos à base de proteína, investiu US$ 315 milhões na compra de 100% das ações da Huon Aquaculture, segunda maior produtora de salmão da Austrália.

Para o CEO Global da JBS, Gilberto Tomazoni, a aquisição foi uma decisão estratégica para a companhia.

“Vamos repetir na aquicultura o que fizemos anteriormente com frango, suínos e produtos de valor agregado. Este mercado será uma nova plataforma de crescimento dos nossos negócios”.

Ao todo, a Huon conta com 13 locais de produção e três unidades de processamento de produtos de valor agregado como filés, defumados ou ovas de salmão.

 

Fonte: Assessoria de imprensa 




NOVIDADES

 

REVISTA

Revista nutriNews Brasil 3 TRI 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 





Veja outras revistas



 

Cadastro Newsletter nutriNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

nutriTips
nutriNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies