Medidor eletrônico de baixo custo usa sensores para medir volume de leite em tanques

21/05/2020

Mercado Tendência

Chega ao mercado no segundo semestre de 2020 o Volutech, equipamento que utiliza sensores para medir com precisão o volume de leite armazenado nos tanques de resfriamento. Desenvolvida pela startup mineira de mesmo nome, situada em Viçosa, a inovação surgiu do Desafio de Startups promovido pela Embrapa Gado de Leite (MG) para incrementar o chamado ‘Leite 4.0’. A tecnologia substitui as réguas de medição, instáveis na apuração do volume real do produto, e é capaz de impactar em ganhos econômicos para produtores e laticínios. 

O equipamento está em fase final de testes para entrar no mercado com todos os ajustes concluídos. Os experimentos estão sendo realizados em quatro fazendas. Três delas estão em Minas Gerais e fornecem leite para o laticínio da UFV, onde a maior parte dos membros da startup estuda ou se formou. Parte da equipe integra o programa Família do Leite, promovido pela universidade.

Ideia surgiu na competição

“A ideia de criarmos o produto surgiu durante o hackathon (chamado de Vacathon) promovido pela Embrapa em 2018”, conta Sávio Filho. Os estudantes investiram no projeto e, no ano seguinte, o equipamento estava pronto para participar do Desafio de Startups da Embrapa.

De acordo com os próprios estudantes, ao se inscrever no Vacathon, a equipe não tinha noção alguma de qual projeto apresentaria. “Foi na visita ao campo experimental da Embrapa Gado de Leite que a ideia surgiu”, relembra Lucas Sanders, estudante de Engenharia Elétrica da UFV, um dos membros da startup. “Ao ver o funcionamento do tanque de expansão, a gente se perguntou sobre como um equipamento tão caro poderia ser tão vulnerável na apuração do volume de leite”, relata.

Com o apoio do grupo de mentores do Vacathon, formado por pesquisadores e analistas da Embrapa, a ideia foi ganhando corpo. No quinto dia de hackathon, a equipe já tinha o projeto desenvolvido e o nome do produto. “Não fomos os vencedores, mas ficamos selecionados entre os melhores projetos e saímos do evento da Embrapa motivados a tornar a ferramenta uma realidade”, conta o estudante.

 

Deixe seu comentário