Microbiota intestinal em ruminantes neonatos | nutriNews Brasil
 
30 jun 2021

Microbiota intestinal em ruminantes neonatos, influencia da água de bebida, alimentação sólida e período de desmame

Fatores que afetam o desenvolvimento da microbiota intestinal em ruminantes neonatos – Parte II, água de bebida, alimentação sólida e período de desmame

 

A microbiota intestinal em ruminantes é fator crucial para o desenvolvimento intestinal, os processos de digestão e utilização de alimentos e influência inclusive na resposta imunológica. Em uma revisão de literatura recentemente publicada na revista Animal Nutrition, pesquisadores exploraram diversos aspectos da formação da microbiota de ruminantes neonatos. Os principais pontos estão destacados no texto abaixo.

 

Água potável

Geralmente, a oferta de água potável para bezerros recém-nascidos é restrita até os 17 dias de idade. Os produtores de leite presumem que o conteúdo de água do leite ou sucedâneo do leite poderia atender às necessidades de água dos bezerros (Usda, 2016).

Recentemente, Wickramasinghe et al. (2019) relataram que bezerros leiteiros que receberam água potável desde o primeiro dia pós-nascimento tiveram ganhos como:

  • maior peso corporal
  • melhor digestibilidade da fibra
  • aumento eficiência alimentar

Em comparação com aqueles que receberam água potável aos 17 dias de idade.

A colonização precoce de bactérias no intestino de bezerros recém-nascidos foi observada como resultado da oferta de água potável a partir do dia 1 após o nascimento.

 

Alimento inicial

Estudos demonstraram que a alimentação com dieta sólida durante o período pré-desmame de bezerros melhora o desempenho, o desenvolvimento microbiano do rúmen e facilita a transição do desmame (Malmuthuge et al., 2019; Yuste et al., 2020).

A introdução de uma dieta sólida estabelece a microbiota ruminal à medida que o leite desvia do rúmen para entrar no abomaso (Heinrichs, 2005). Portanto, o manejo da alimentação antes do desmame é importante para o estabelecimento microbiano no rúmen durante o período de desmame.

Os carboidratos fermentáveis ​​têm mostrado efeitos mais promissores quanto à composição e atividade da microbiota trato gastrointestinal (Bauer et al., 2006a, 2006b). A suplementação de carboidratos fermentáveis ​​é essencial para a rápida estabilização da comunidade microbiana e da diversidade bacteriana em animais recém-desmamados (Konstantinov et al., 2003).

O aumento do peso ruminal e do tamanho das papilas, associados a uma melhor saúde e crescimento, foram observados em bezerros que receberam alimento antes do desmame (Berends et al., 2012; Pazoki et al., 2017; Sun et al., 2018). A composição da ração inicial é uma consideração crucial para a manipulação eficaz do estabelecimento da microbiota intestinal e do desenvolvimento ruminal.

A suplementação dietética de bezerros com sucedâneo do leite, feno de alfafa e ração inicial mostrou melhorar a abundância de ácidos graxos voláteis (AGV) e o desempenho de crescimento em comparação com animais a pastejo e amamentação materna (Wu et al., 2019).

 

Período de desmame

Normalmente, o termo desmame significa a redução da oferta de leite e um aumento no fornecimento de ração sólida para bezerros jovens em diferentes idades de vida (6 a 10 semanas). Diferentes programas de alimentação ou época de desmame podem afetar o consumo de ração sólida, o desenvolvimento ruminal e a digestibilidade dos bezerros de diferentes maneiras.

O desmame precoce (4 a 6 semanas), juntamente com a oferta de leite ideal (10% do peso corporal) estimula o consumo precoce de alimentos sólidos e o desenvolvimento inicial do rúmen (Bhatti et al., 2012).

Atrasar a idade de desmame aumenta o ganho de peso corporal em bezerros alimentados com um nível elevado de nutrição antes do desmame e diminui a redução transitória do ganho de peso ao desmame (Abbas et al., 2017; Meale et al., 2015).

Um aumento no consumo de ração sólida foi observado durante o período de transição, quando os bezerros foram desmamados tardiamente em comparação com os bezerros desmamados precocemente (Eckert et al., 2015).

O desmame é considerado a fase mais crítica no início da vida devido às mudanças dietéticas significativas, que podem levar ao estresse e, em última instância, suscetibilidade a doenças e atenuação do sistema imunológico e do crescimento (Hickey et al., 2003; Schichowski et al., 2010).

O desenvolvimento do rúmen pode ser afetado por diferentes práticas de desmame, como quantidade de leite, idade de desmame, esquema de desmame e tempo de introdução de alimentos sólidos para os jovens (Khan et al., 2016).

O desenvolvimento morfológico e fisiológico do rúmen pode ser melhorado optando-se por uma estratégia de desmame adequada, como um método de desmame progressivo, que demonstrou um desmame bem-sucedido de bezerros com 4 semanas de idade (Carballo et al., 2019). Embora estudos estejam disponíveis a respeito dos efeitos de curto prazo das estratégias de desmame no desempenho do crescimento e desenvolvimento ruminal, mais investigações são necessárias para um melhor entendimento dos efeitos na função gastrointestinal, no microbioma ruminal e na saúde dos bezerros.

 

Para ler a primeira parte desse artigo, “Fatores que afetam o desenvolvimento da microbiota intestinal em ruminantes neonatos”, clique aqui

 

 




NOVIDADES

 

REVISTA

Revista nutriNews Brasil 3 TRI 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 





Veja outras revistas



 

Cadastro Newsletter nutriNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

nutriTips
nutriNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies