Nutrição de bovinos de corte: suplementação com proteína na seca

18/02/2020

Nutrição Animal Nutrientes

Dentro da produção de gado, a nutrição de bovinos de corte é um fator primordial para o sucesso da criação. É a partir da nutrição que o sucesso do pecuarista começa a se formar, afinal é ela que garante, entre outras coisas a qualidade do produto final. Contudo, é importante ter um planejamento eficiente para o manejo nutricional do rebanho uma vez que, o custo com alimentação representa até 70% dos custos de produção.

Dessa forma, o manejo nutricional de bovinos de corte requer conhecimento, planejamento e preparação por parte do pecuarista. Para o sucesso é preciso conhecer muito bem o rebanho, o sistema de criação escolhido, as necessidades dos animais considerando a região da propriedade, e, ainda, alinhar tudo isso aos objetivos e metas estabelecidas. 

Partindo disso, quando encontramos uma propriedade com um sistema de criação de gado a pasto, alguns fatores se tornam ainda mais dignos de atenção. Assim, é importante estar consciente das alterações que as forragens sofrem ao longo do ano, pois isso afeta, e muito, seu valor nutricional. 

Neste artigo, você vai entender mais sobre o efeito da condição das pastagens na nutrição de bovinos de corte, e o papel da suplementação para um manejo nutricional de sucesso.

As pastagens no período de seca

Como o nome indica, no período de seca, as pastagens perdem água naturalmente, o que muda seu valor nutricional. Nessa época do ano, é importante entender o que acontece com esses nutrientes, para saber como corrigir essa deficiência e evitar prejuízos ao rebanho. 

Nesse período, ocorre uma queda na qualidade e na quantidade da pastagem o que afeta diretamente o manejo nutricional dos animais nesse sistema. Quando falamos da nutrição de bovinos de corte, essa queda drástica no alimento disponível causa prejuízos significativos no produto final. 

Durante essa época, o principal nutriente afetado é a proteína. Por isso, para que se garanta os resultados desejados é importante um regime de suplementação para que os teores de nitrogênio na alimentação do rebanho sejam adequados. Assim é possível garantir a melhoria da digestão, taxa de passagem e consumo de forragem.

Suplementação com proteína na nutrição de bovinos de corte durante a seca

Diante de tudo isso, para manter uma boa nutrição de bovinos de corte é importante realizar a suplementação do rebanho durante o período de seca. Como apontamos, a forragem se torna deficiente nutricionalmente durante esse período, principalmente no que se refere à quantidade de proteínas disponíveis. Assim, a suplementação proteica é muito importante durante esse período. Essa prática pode ser feita de diferentes maneiras, com fontes de proteína diferentes e de acordo com o objetivo do animal. 

Dessa forma é possível oferecer proteína de origem vegetal – farelos – ou substrato para os microorganismos do rúmen. No segundo caso, são estes microorganismos que produzirão o suplemento proteico, usando como base nitrogênio e energia. Assim, é preciso considerar que, para esse tipo de suplementação, é preciso oferecer também boas fontes de energia ao rebanho. A energia pode vir da fermentação das fibras de pastagens secas e o nitrogênio vem dos farelos ou do fornecimento de ureia. 

Outro ponto importante para uma suplementação eficiente é considerar a qualidade e a quantidade de forragem disponível ao rebanho. Isso porque, como destacamos, é importante que a suplementação esteja alinhada com os nutrientes em deficiência na alimentação do rebanho. Além disso, é preciso que a suplementação esteja alinhada com o objetivo de produção, como reprodução, crescimento ou engorda, por exemplo. Assim, quando falamos de ganho de peso do rebanho, é preciso realizar uma suplementação principalmente a base de aminoácidos e de substratos energéticos para tecidos. 

Contudo, é sempre válido ressaltar que, para a boa nutrição de bovinos de corte, é importante considerar todo o manejo do rebanho e da pastagem. Sem esse conhecimento, adotar qualquer rotina de suplementação pode representar prejuízos financeiros e à saúde do rebanho.  Ainda é frequente a quantidade de animais intoxicados por uréia devido a má suplementação, por falta de conhecimento do responsável. Assim, o ideal é acompanhar a qualidade das pastagens, e as necessidades nutricionais do gado para que o resultado seja de fato efetivo.

Revista Agropecuária

Deixe seu comentário