Pesquisadores esclarecem pecuaristas de corte sobre a Covid-19

18/05/2020

Formação

As dúvidas em relação ao novo coronavírus e seus impactos chegaram também aos bovinocultores de corte do País. Integrantes de uma robusta equipe que dá suporte aos Ministérios da Agricultura e Saúde, durante a pandemia, os pesquisadores Flábio Ribeiro de Araújo (Embrapa) e André Luiz Julien Ferraz (UEMS), ao lado de Taynara Nunes Pasquatti (UCDB), Daiane Rosa Lima (UFMS) e Rudielle de Arruda Rodrigues (UFMS) disponibilizam o Comunicado Técnico (153) com dicas de prevenção de Covid-19 para os pecuaristas de corte.
Na publicação, eles ressaltam que não há, até o momento, relatos de infecção pelo novo coronavírus, chamado de SARS-CoV-2, por meio de contato com animais domésticos e reforçam que a forma de contágio é de humano para humano, “mediante contato com gotículas exaladas por pessoas infectadas pelo coronavírus ou ao tocar objetos ou quaisquer superfícies (como mesas, maçanetas e celulares) que estejam contaminadas por essas gotículas e depois levar as mãos à boca, olhos ou nariz”.
Para o produtor rural, eles recomendam que haja limitação na entrada de pessoas à propriedade rural, inclusive, com distanciamento mínimo de dois metros e ressaltam que os proprietários de estabelecimentos rurais, familiares e outros que moram na cidade devem evitar o trânsito frequente entre zona urbana e rural, para evitar levar o vírus para o campo.
Os cientistas ratificam que é “importante manter o manejo sanitário, seguindo as orientações e supervisão do médico-veterinário, visando a saúde e bem-estar dos animais”. Araújo é especialista em imunologia, Ferraz em biologia molecular, Pasquatti em biotecnologia e Lima e Rodrigues em Ciências Veterinárias. Araújo atua como pesquisador nessa área na Embrapa Gado de Corte (MS); Ferraz e Pasquatti como professor-pesquisador na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), respectivamente, e Lima e Rodrigues são pós-graduandas na UFMS, sob orientação de Flábio Araújo.
Médico-veterinário, Araújo, e zootecnista, Ferraz, integram a equipe multidisciplinar formada também pelas especialistas da Embrapa da área de saúde animal Lenita Ramires dos Santos e Vanessa Felipe de Souza; e pelas pesquisadoras da Fiocruz-MS, Zoraida Del Carmen Fernandez Grillo e Alexsandra Rodrigues Mendonça Favacho, que auxiliam o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/MS) na luta contra a pandemia, em Mato Grosso do Sul.
Os técnicos e equipamentos da Embrapa Gado de Corte, em Campo Grande (MS), executam há algumas semanas testes diagnósticos para arboviroses (dengue – tipos 1, 2 e 3, zika e chikungunya) a fim de aliviar o sistema. Assim, as análises para o coronavírus ficam concentradas no Lacen/MS. A Embrapa colocou sua infraestrutura laboratorial e equipes, à disposição dos Ministérios da Agricultura e Saúde para ajudar no combate ao novo coronavírus, desde março.
Por Dalízia Montenario de Aguiar (MTb 28/03/14/MS)/ Embrapa

Deixe seu comentário