Probióticos e prebióticos para produção de bovinos: quando e como usar?

16/10/2019

Aditivos Nutrição Animal

Mesmo o pecuarista que cria seu rebanho em um sistema extensivo sabe que é necessário complementar a alimentação dos animais, devido ao déficit de nutrientes que as pastagens apresentam. Porém, o uso de probióticos e prebióticos tem uma finalidade mais ampla na criação de bovinos, beneficiando de maneira global a saúde dos animais.

A nutrição é um dos alicerces de qualquer sistema de criação de animais que visa manter ou elevar os índices de produtividade do gado. Para o negócio ter êxito e credibilidade no mercado exigente e competitivo, o produtor precisa focar em investimentos certeiros, que trarão retorno e resultados visíveis. É aí que entram as estratégias nutricionais e os aditivos que promovem maior eficiência alimentar.

 

Mas afinal: o que são, de que maneira probióticos e prebióticos auxiliam o bom funcionamento do organismo dos ruminantes e por que você deveria pensar em oferecer esses complementos? 

O que são probióticos?

A palavra probiótico resulta da junção do prefixo pro = em favor, com a palavra de origem grega bios = vida. De maneira simples e direta, os probióticos são aditivos elaborados com microrganismos vivos (comercializados em estado latente) que, quando administrados da maneira correta, conferem inúmeros benefícios à saúde de quem os ingere.

As fórmulas contêm diversas bactérias (como Bacillus cereusEnterococcus faeciumLactobacillus acidophilusRuminobacter amylophilumRuminobacter succinogenes e Succinovibrio dextrinosolvens) e também leveduras (como Saccharomyces cerevisiae) que já fazem parte da flora intestinal dos bovinos — mas que, por diversas razões, encontram-se em pequenas quantidades.

O que são prebióticos?

Os prebióticos, por sua vez, são aditivos alimentares não digeríveis que atuam estimulando seletivamente a proliferação ou a ação de bactérias benéficas no trato intestinal dos animais. Como os probióticos, promovem melhorias a quem os ingere. 

Prebióticos são fibras alimentares que auxiliam na formação de probióticos, aumentando a sua taxa de ocorrência dentro do organismo dos bovinos.Comumente se usa o termo simbiótico para se referir ao produto que une probióticos e prebióticos em sua composição.

Por que usar probióticos e prebióticos na nutrição animal?

Mesmo que se use o termo simbiótico para falar do produto conjunto de aditivos, esse é um conceito de Ecologia, que traduz a relação benéfica existente entre duas espécies de seres vivos. Ou seja, são dois organismos que se beneficiam mutuamente quando vivem em associação. Esse é o caso dos probióticos e dos bovinos.

Antes de tudo, precisamos destacar que o rúmen é um órgão que tem o ecossistema complexo. Os microrganismos presentes nele utilizam proteínas e carboidratos para crescer e se multiplicar. Após usarem esses substratos, a microbiota produz metabólitos resultantes da sua fermentação (proteínas microbianas e ácidos graxos de cadeia curta). Essas são as principais fontes de energia e proteína para os bovinos.

Quando se fala em leveduras, uma das mais importantes ações delas é a retirada do oxigênio do rúmen. Como resultado, isso aumenta a viabilidade bacteriana no interior do órgão — essas mesmas que recém citamos e que precisam de um ambiente anaeróbio para fermentar os metabólitos necessários aos ruminantes.

O oxigênio é tóxico para as bactérias ruminais, inibindo o seu crescimento e a adesão das bactérias celulolíticas (que digerem a celulose) à fibra do pasto. Consequentemente, a presença de oxigênio no rúmen reduz a eficiência do processo digestivo dos bovinos.

Embora o rúmen seja considerado um meio anaeróbio, o gás produzido naturalmente na digestão dos animais contém em torno de 0,5% a 1% de oxigênio. Dessa forma, quando culturas de leveduras são adicionadas à dieta do gado, o número de bactérias ruminais aumenta devido à condição ambiental ideal que o aditivo criou para elas.

Outra atuação que esses microrganismos têm é reduzir a concentração de ácido lático no rúmen, o que promove a manutenção do pH adequado à microbiota e cria um ambiente ruminal mais estável.

Quais os benefícios dos probióticos e prebióticos para os bovinos?

A essa altura, já foi possível perceber que a inclusão de probióticos e prebióticos na dieta dos bovinos traz diversos benefícios a eles e, portanto, ao seu negócio, não é mesmo? Muito bem, mas vamos a eles:

  • fornecem carboidratos, proteínas e vitaminas do complexo B;
  • aumentam a taxa de conversão alimentar (melhor aproveitamento dos nutrientes que você oferece, tanto na ração quanto no volumoso);
  • aumentam a ingestão de matéria seca;
  • aumentam a produção de leite;
  • promovem alterações benéficas na composição do leite;
  • controlam o pH do rúmen em dietas com alta inclusão de grãos (animais confinados);
  • proporcionam uma pelagem brilhosa e vigorosa;
  • melhoram a saúde de forma geral.

Estudos científicos que exploram a suplementação animal com esses aditivos relatam essas inúmeras vantagens. Mas não podemos deixar de ressaltar, é claro, que com um rebanho revigorado, fortalecido e produtivo, a visibilidade do seu negócio sofre um impacto positivo, abrindo portas e gerando novas oportunidades de negócios.

Como escolher o fornecedor de aditivos probióticos e prebióticos?

Você já sabe da importância que a nutrição animal tem na produtividade do gado leiteiro e de corte, além da relevância de fazer o manejo das pastagens, prezar por matérias-primas de excelência para o seu rebanho. Por que seu nível de exigência seria diferente com os fornecedores de probióticos e prebióticos? Pois não deve ser.

É fundamental procurar por fornecedores idôneos, que tenham boas certificações no mercado. Todo bom negócio precisa de parceiros com experiência e conhecimento na área para identificarem as carências da propriedade e do rebanho. É importante salientar que os ciclos de lactação, o tipo de forrageira e a proporção entre volumoso e concentrado podem afetar a resposta dos bovinos aos aditivos.

Por isso, recomendamos que o produtor busque se consultar com especialistas em nutrição para que as melhores estratégias nutricionais sejam planejadas, de acordo com as metas da produção e as condições da fazenda e do rebanho.

Você pôde perceber o impacto gigantesco que o uso de probióticos e prebióticos causa aos ruminantes. Ao oferecer aos animais esses aditivos, o organismo deles funciona plenamente: reforça a saúde, aumenta a absorção e a assimilação de nutrientes e maximiza o desempenho do rebanho. Com tudo isso, a produtividade é garantida.

Equipe Vaccinar

Deixe seu comentário