Suplementação de Arg, Cit e GAA em dieta com PB reduzida de poedeiras
 
31 mar 2021

Resposta de poedeiras à suplementação de Arginina, Citrulina e AGG em dieta com proteína reduzida

A redução da proteína bruta (PB) na dieta de galinhas poedeiras pode trazer benefícios econômicos, ambientais e de bem-estar. A redução da PB dietética com suplementação de aminoácidos (AA) aproxima a formulação de ração para poedeiras das necessidades nutricionais e pode permitir maior utilização de proteína e redução da excreção de N, mantendo o desempenho das aves.

Galinhas poedeiras têm alta necessidade dietética de arginina (Arg) porque têm atividade enzimática limitada de enzimas-chave para a síntese de Arg.

A arginina desempenha um papel importante em várias vias metabólicas, incluindo a síntese de proteínas e imunidade, além disso, ela é conhecida por ter um efeito vasodilatador que pode aumentar a dissipação de calor.

 

Apesar de sua suplementação ter sido amplamente estudada em frangos de corte, não se tem muitas pesquisas sobre a suplementação de arginina em galinhas poedeiras.

 

Pela falta de estudos e conhecimento sobre a suplementação de Arg para galinhas poedeiras, pesquisadores da University of New England (Austrália), Vietnam National University of Agriculture (Vietnam) se uniram para investigar o impacto da deficiência e da suplementação de Arg no desempenho de galinhas poedeiras.

O estudo utilizou 125 Hy-line Brown, com 20 semanas de idade as aves foram distribuídas em 5 tratamentos:

  • PP: dieta com proteína padrão;
  • ArgR: dieta reduzida em proteína e deficiente em arginina;
  • Arg-0,35%: dieta reduzida em proteína e suplementada com 0,35% de arginina;
  • GAA-0,46%: dieta reduzida em proteína e suplementada com 0,46% de ácido guanidinoacético (GGA)
  • Cit-0,35%: dieta reduzida em proteína e suplementada com 0,35% de citrulina (Cit)

 

Desempenho das poedeiras
Durante todo o período de estudo (20 a 39 semanas), as aves que receberam dieta com proteína padrão (PP) tiveram maior massa e peso dos ovos em comparação com as aves dos outros quatro grupos.

As diferenças entre a massa do ovo e o peso do ovo dos grupos PP e dieta reduzida em proteína e deficiente em arginina (ArgR) da semana 30 à 39 foram 6,04 g (10,6%) e 4,20 g (7,1%) por dia por galinha, respectivamente. As aves que receberam PP também tiveram a maior produção de ovos/dia, esse resultado foi observado em todas as fases do estudo.

A suplementação de Arg ou Cit não teve efeito sobre a massa do ovo, peso do ovo, produção de ovo/dia e consumo de ração, enquanto a suplementação de GAA diminuiu drasticamente a massa do ovo, produção do ovo/dia/galinha e consumo de ração.

As aves que receberam o PP tiveram maior consumo de ração e menor conversão alimentar do que aquelas que receberam a dieta suplementada com GAA observado nas semanas 20 a 29.

O consumo de ração das aves nos grupos ArgR, e suplementadas com Arg e Cit foram semelhantes às aves que receberam dieta com proteína padrão.

Além disso, a suplementação com GAA tendeu a diminuir a massa de ovos em comparação com outros tratamentos nas primeiras 10 semanas do estudo.

 

Qualidade do ovo

Galinhas que receberam a dieta com proteína padrão apresentaram maior escore de cor da gema, peso de albumina, casca e gema em comparação com aquelas alimentadas com outras dietas.

A suplementação de Arg, GAA ou Cit tendeu a aumentar o peso do albúmen da semana 20 à 29, mas não teve efeito depois disso.

Além disso, a cor da gema, o peso da casca e o peso da gema não foram afetados por Arg, GAA e Cit suplementares.

As aves suplementadas com Cit tenderam a ter maior unidade Haugh, porém, menor resistência à quebra da casca em comparação com os outros grupos de tratamento da semana 30 a 39. A espessura da casca do grupo que recebeu suplementação de Cit foi menor do que os dos outros grupos em diferentes períodos do estudo (semanas 20 a 29, semanas 30 a 39 e semanas 20 a 39).

As aves alimentadas com a dieta suplementada com GAA tenderam a ter maior refletividade da casca (cor mais clara) do que os outros grupos observados das semanas 20 a 29.

Não houve diferença na altura do albúmen, deformação da casca e porcentagens dos componentes do ovo entre os tratamentos em todo o estudo.

 

Proteína aparente e digestibilidade energética

A redução no nível de proteína bruta tendeu a diminuir a umidade dos excrementos. As aves alimentadas com a dieta PP tiveram maior ingestão de proteína bruta e energia bruta e mais proteína bruta e energia bruta nas excretas do que aquelas alimentadas com as outras dietas.

As retenções absolutas de PB e EB não foram diferentes entre os tratamentos. Aves recebendo dieta PP tenderam a ter reduzida digestibilidade aparente relativa de PB em comparação com aquelas alimentadas com dieta reduzida em proteína e deficiente em arginina na semana 40 (ArgR).

Os níveis consumidos, excretados e retidos de PB e GE em aves alimentadas com a dieta ArgR foram semelhantes aos das aves suplementadas Arg, Cit ou GAA.

 

Os autores concluíram que os resultados do experimento confirmam os efeitos benéficos de dietas de proteína reduzida para aumentar a digestibilidade da proteína e reduzir a excreção proteica; no entanto, sugere que a redução de 4 pontos percentuais da PB de 17% para 13% é excessiva em dietas à base de trigo e sorgo para poedeiras.

A falta de efeitos da suplementação de Arg, GAA e Cit no desempenho de postura foi possivelmente devido à redução excessiva da PB dietética, resultando na deficiência de alguns AA essenciais e não essenciais e de outros componentes do farelo de soja nas dietas.

 

Para consulta do artigo completo clique aqui

As informações desse texto foram retiradas do artigo intitulado “Response of laying hens to L-Arg, L-citrulline and guanidinoacetic acid supplementation in reduced protein diet” com autoria de:

Hiep Thi Daoab, Nishchal K. Sharmaa, Emma J. Bradburyc, Robert A.Swicka

a School of Environmental and Rural Science, Faculty of Science, Agriculture, Business and Law, University of New England, 2351, New South Wales, Australia

b Faculty of Animal Science, Vietnam National University of Agriculture, Trau Quy Town, Gia Lam District, Hanoi, Vietnam

c Ridley AgriProducts, Level 4, 565 Bourke Street, Melbourne, VIC, Australia

 

Adaptado por Márcia Cândido – nutriNews Brasil




NOVIDADES

 

REVISTA

Revista nutriNews Brasil 3 TRI 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 





Veja outras revistas



 

Cadastro Newsletter nutriNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

nutriTips
nutriNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies