SP realiza workshops das cadeias de produção do agronegócio

25/09/2019

Mercado

O governo do estado de São Paulo realiza até o próximo dia 30/9 workshops com seis Institutos e Polos de Pesquisas ligados à produção do agronegócio. O Plano é elaborar um diagnóstico e um prognóstico em cada uma das 18 cadeias de produção animal e vegetal do agronegócio paulista e brasileiro em que atuam os pesquisadores e técnicos do estado.

O Workshop Planeja PD&I (Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação nas Cadeias de Produção do Agronegócio) reúne pesquisadores da APTA (Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios), das coordenadorias de Defesa Agropecuária (CDA) e de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS).

Segundo Flávio Dutra, pesquisador do Polo Regional da Apta – Colina, que fez um panorama sobre a cadeia produtiva da carne, essa cadeia interage com os diferentes sistemas. A cadeia da carne é bastante ampla – insumos, produtores, pesquisa, frigoríficos, mercado interno –, “mas é o consumidor quem determina as regras, independente do tipo de carne. Em geral trabalhamos até o frigorífico”, afirmou.

A pesquisadora Maria Eugênia Mercadante, coordenadora da cadeia produtiva da carne, disse que vê uma maior oportunidade com a realização anual do Workshops.

“Assim, podemos estabelecer uma ação continuada de integração das Instituições da Secretaria com atores da iniciativa privada para atender com eficiência às demandas do setor produtivo”, ressaltou.

O Projeto

O trabalho iniciou em junho com a coleta de informações para entendimento destes cenários e a segunda parte com os workshops para traçar as ações. O Instituto de Zootecnia (IZ/Apta) reuniu cerca de 110 profissionais nos dias 17 e 18 para os workshops das cadeias da carne e do leite.

Segundo Antonio Batista Filho, coordenador da APTA, a realização desses workshops é importante para levantar um diagnóstico das pesquisas que estão sendo conduzidas em cada uma dessas cadeias de produção no âmbito dos Institutos de Pesquisa da APTA.

“A ideia é traçar de forma consistente os rumos dos trabalhos científicos, atendendo às necessidades do setor e vislumbrando aquilo que será necessidade no futuro”, afirmou.

Para o diretor geral do IZ, Luiz Marques da Silva Ayroza, a presença dos atores da cadeia produtiva foi fundamental para ter um retrato das demandas, gargalos e oportunidades para o desenvolvimento de projetos de pesquisa aplicada, conforme as necessidades das cadeias produtivas.

O encontro apontou o que está sendo feito, como melhorar e como deverão ser direcionadas as pesquisas dos Institutos da APTA, visando atender às necessidades do pequeno e médio produtor do Estado de São Paulo”, destacou.

Foram apurados indicadores de pesquisa, como dados sobre produtividade técnico-científica, atividades de transferência de ciência e tecnologia, inserção do produto e serviços na cadeia de produção, custos de realização das atividades, número de recursos humanos de apoio e infraestruturas disponíveis.

As informações irão compor um relatório final com apontamentos sobre atuais produções, direcionamentos de oportunidades, prioridades e ações necessárias para desenvolvimento e transferência de tecnologia ao produtor e, consequentemente, atendendo às exigências do consumidor final desses produtos agropecuários. Ainda foi ressaltado que para transferência do conhecimento é relevante e necessário a participação mais efetiva do setor produtivo.

 

Lilian Cristina Anefalos, pesquisadora do IAC, também do grupo gestor do Planeja, comentou que o dia foi positivo. “ O grande ganho desse workshop foi a possibilidade dos Institutos poderem discutir a cadeia da carne juntamente com o setor produtivo ”, enfatizou.

Assessoria de Imprensa SAA

Deixe seu comentário