Uma ferramenta eficaz contra os desafios da enterite necrótica Uma ferramenta eficaz contra os desafios da enterite necrótica


AUTOR(ES)

Luis Pantoja

Poultry Brand Manager, HIPRA

Joan Molist Badiola

Poultry Product Manager, HIPRA

Martina Dardi

Poultry Senior Brand Manager, HIPRA

Ellen van Eerden

Schothorst Feed Research, Lelystad, Países Baixos.

Novo estudo demonstra que a vacina atenuada por precocidade contra a coccidiose aviária, isolada ou em combinação com aditivos nutricionais, é eficaz contra a enterite necrótica.

A coccidiose aviária e a enterite necrótica se destacam como as principais doenças intestinais que preocupam os avicultores. A primeira também é reconhecida como a principal responsável pelo surgimento da segunda doença e, por isso, a prevenção da coccidiose é uma das estratégias mais importantes para reduzir os problemas de enterite necrótica.

enterite necróticaHIPRA, como laboratório veterinário especializado em prevenção da saúde animal, vem contribuindo há muitos anos para a promoção da saúde intestinal das aves, oferecendo ao mercado vacinas altamente eficazes e seguras para a prevenção da coccidiose.

A HIPRA também mostrou em um estudo recente que, quando se utiliza uma vacina atenuada por precocidade contra coccidiose, a vacinação contra Eimeria já é capaz de reduzir por si só os efeitos adversos da enterite necrótica (desafio por Clostridium perfringens).

Contudo, os problemas que afetam a saúde digestiva são multifatoriais e seu controle não envolve apenas a prevenção contra a coccidiose ou outros agentes infecciosos, pois há também outros fatores que desencadeiam a doença (tóxicos, nutricionais, etc.). Por essa razão, a HIPRA está realizando estudos para identificar e assessorar os avicultores sobre as melhores estratégias globais de proteção e promoção da saúde intestinal de aves.

 

EFICÁCIA DA COMBINAÇÃO DE UMA VACINA PARA A PREVENÇÃO DA COCCIDIOSE COM ADITIVOS NUTRICIONAIS NA PROTEÇÃO CONTRA ENTERITE NECRÓTICA: UM SEGUNDO ESTUDO

enterite necróticaComo mencionado, um estudo realizado anteriormente avaliou as possíveis sinergias alcançadas na promoção da saúde intestinal ao se combinar o uso de uma vacina preventiva da coccidiose, como tratamento único ou em conjunto com alguns aditivos nutricionais (ácidos graxos de cadeia curta, ácidos graxos de cadeia média e fitogênicos).

Posteriormente, a HIPRA continuou a investigar esse tipo de sinergia e seu efeito na saúde intestinal, combinando a vacinação com uma vacina atenuada por precocidade com outros aditivos nutricionais diferentes dos utilizados no primeiro estudo.

enterite necróticaDesta forma, neste segundo estudo avaliou-se a administração de probióticos ou uma combinação diferente de fitogênicos como alternativa aos antimicrobianos frente a um desafio de enterite necrótica.

 

enterite necrótica

DESENHO DO ESTUDO

Os pintos foram distribuídos em 6 grupos, com tratamentos diferenciados (Tabela 1). Ao longo do estudo, foram avaliados diferentes parâmetros de saúde e produtividade (Tabela 2).

enterite necrótica

 

DESENHO DO DESAFIO DE ENTERITE NECRÓTICA

Com base no protocolo utilizado no estudo anterior, o procedimento de inoculação de Eimeria maxima (4.500 óocitos esporulados) foi realizado quando as aves tinham 15 dias de idade. E, no dia 20, as aves foram inoculadas com 1,2 x 108UFC de Clostridium perfringens.

enterite necróticaA formulação do alimento padrão não incluiu coccidiostáticos nem antibióticos promotores de crescimento. Além disso, o alimento da fase de crescimento foi especificamente formulado para fornecer fatores que predispõem ao desenvolvimento da enterite necrótica. Assim, foram incluídas matérias-primas ricas em polissacarídeos não amiláceos, enquanto, por outro lado, a inclusão de enzimas glicanases e xilanases foi evitada.

As lesões intestinais foram pontuadas de acordo com diferentes métodos, dependendo de serem produzidas por E. Máxima (Johnson & Reid, 1970) ou por C. Perfringens (Lensing et al., 2010).

 

 

RESULTADOS DO ESTUDO

 Excreção de óocitos nas fezes

Os resultados da excreção de óocitos após a inoculação de E. maxima mostraram menor nível de replicação de parasitas do que no primeiro estudo (Figura 1). Em relação a essas diferenças, pode-se afirmar que a coccidiose foi o principal fator desencadeante da enterite necrótica no primeiro estudo, ao passo que outros fatores foram mais importantes neste segundo estudo (carga bacteriana, composição do alimento, etc.).

enterite necrótica

Figura1. Comparação da excreção de óocitos nos dois estudos. Os resultados são relatados como número de óocitos por grama (OPG)

 

SAÚDE DAS AVES

Após o desafio, os níveis de lesões de enterite necrótica e Eimeria maxima no dia 21 não apresentaram diferenças significativas entre os grupos, nem com o grupo de controle positivo (Figura 2).

O desafio experimental de enterite necrótica no grupo de aves de controle positivo demonstrou, no dia 22, um aumento no grau médio de lesões intestinais associadas a C. perfringens em comparação com o grupo apenas vacinado. Além disso, os grupos vacinados e suplementados com aditivos alimentares apresentaram redução estatisticamente significativa no grau de lesões de enterite necrótica em relação ao grupo de controle positivo (Figura 3).

enterite necrótica

 

RENDIMENTO PRODUTIVO

Em termos de parâmetros de produção, a doença reduziu o crescimento das aves, como
mostra o menor peso corporal (BW) do grupo de controle positivo em comparação com o grupo apenas vacinado e uma maior taxa de conversão de alimentos (FCR) em comparação com todos os grupos vacinados.

 

DISCUSSÃO E CONCLUSÕES

Neste estudo, e em consonância com o realizado anteriormente, a vacinação com uma vacina atenuada por precocidade demonstrou sua capacidade de reduzir lesões intestinais associadas a C. perfringens, em comparação com as das aves não vacinadas e, em consequência, também foram observados benefícios no rendimento produtivo.

enterite necróticaA conversão de alimentos durante o período crítico da doença também foi melhor em comparação com a das aves não vacinadas.

enterite necróticaComo conclusão final dos resultados obtidos neste estudo, pode-se afirmar que a prevenção da coccidiose por meio da vacinação com uma vacina atenuada por precocidade apresentou alto nível de proteção contra um desafio de enterite necrótica, e isso apesar de, neste caso, a doença da coccidiose não ter sido o principal fator desencadeante da doença bacteriana.

Os parâmetros produtivos foram melhorados com vacinação e, além disso, este estudo também mostrou que a inclusão de aditivos nutricionais, como probióticos ou fitogênicos, pode ter efeito sinérgico com a vacinação na redução das lesões intestinais causadas por um desafio de enterite necrótica e, portanto, na promoção da saúde intestinal das aves.




NOVIDADES

 

REVISTA

Revista nutriNews Brasil 2 TRI 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 





Veja outras revistas



 

Cadastro Newsletter nutriNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

nutriTips
nutriNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies