Uso de probióticos para reduzir a diarreia pós-desmame em leitões Uso de probióticos para reduzir a diarreia pós-desmame em leitões
 
10 maio 2021

Uso de probióticos para reduzir a gravidade da diarreia pós-desmame causada por E. coli em leitões

Umas das principais preocupações no período pós-desmame é a ocorrência de diarreia pós-desmame, uma vez que, ela afeta o sucesso da produção de suínos devido às perdas econômicas causadas pelo aumento da mortalidade e da redução da taxa de crescimento dos suínos sobreviventes. O principal agente envolvido na diarreia pós-desmame é a Escherichia coli enterotoxigênica (ETEC).

Atualmente, com a crescente restrição ao uso de antibióticos, aditivos alimentares alternativos têm sido incluídos na dieta de suínos na tentativa de manter a saúde dos leitões e, consequentemente, promover o desempenho do crescimento.

Bactérias do gênero Lactobacillus, Bifidobacterium e Enterococcus podem ser boas alternativas aos antibióticos promotores de crescimento convencionais.

Devido a crescente utilização dos probióticos e da importância ao combate aos efeitos deletérios causados pela E. coli enterotoxigênica, pesquisadores da North Carolina State University, realizaram um experimento com o objetivo de investigar a eficácia da suplementação dietética de probióticos multiespécies para melhorar a saúde intestinal, reduzir a gravidade da diarreia pós-desmame e aumentar o desempenho de leitões recém-desmamados desafiados com E. coli F18+.

Para o experimento, os pesquisadores, utilizados 32 leitões recém-desmamados com peso corporal inicial de 6,99 ± 0,33 kg, distribuídos aleatoriamente em 32 baias com base em um arranjo fatorial 2 × 2.

O primeiro fator foi o desafio ETEC (inoculação oral de solução salina ou E. coli F18+ na concentração de 2×109 unidade formadora de colônias no dia 13 pós-desmame), e o segundo fator foi o uso de probióticos multiespécies (0,15% na fase 1 [P1] e 0,10% na fase 2 [P2]).

Do dia 0 ao 9 pós-desmame, os leitões foram alimentados com a dieta P1, e do dia 10 ao 25 pós-desmame, os leitões foram alimentados com a dieta P2.

O probiótico utilizado continha Lactobacillus acidophilus, Lactobacillus casei, Bifidobacterium thermophilum e Enterococcus faecium (0,25×108 UFC/g para cada cepa).

 

Desempenho dos leitões

Nos resultados, os pesquisadores não encontraram diferença entre os fatores avaliados para o peso corporal inicial dos leitões. Além disso, o desempenho do crescimento não foi afetado pelo desafio com E. coli.

Um resultado relevante relatado pelos pesquisadores foi que, independentemente do desafio com E. coli, os probióticos tenderam a aumentar o peso corporal dos leitões, tanto no período pré-desafio (d 0 a 13), quanto no período pós-desafio (d 13 a 25).

Em relação ao consumo médio de ração, durante o período pós-desafio, a suplementação de probióticos aumentou o consumo de ração, independentemente do desafio.

 

Escore fecal e histologia intestinal

O escore fecal* não foi afetado durante o período pré-desafio e P1. Já no período pós-desafio, o desafio com E. coli aumentou o escore fecal, enquanto os probióticos não o afetaram. Durante P2 e período geral, o desafio com E. coli aumentou o escore fecal.

No jejuno, o desafio com E. coli diminuiu a altura das vilosidades. Foi observado que os probióticos aumentaram a altura das vilosidades em leitões desafiados com ETEC. A largura das vilosidades não foi afetada pelos fatores.

O desafio ETEC reduziu a profundidade da cripta, enquanto os probióticos a aumentaram, independentemente do desafio.

 

Dentre as conclusões, os autores destacaram que o desafio com E. coli aumentou o escore fecal de leitões recém-desmamados, aumentando a resposta imune intestinal e a profundidade da cripta, enquanto reduziu a altura das vilosidades no jejuno e a concentração sérica de peptídeos sem afetar o desempenho de crescimento.

A suplementação dietética de probióticos multiespécies melhorou o desempenho dos leitões, reduzindo o pH da digesta, a resposta imune sistêmica, o estresse oxidativo intestinal e aumentou a altura das vilosidades no intestino delgado e a concentração de peptídeos no soro, independentemente do desafio ETEC. Portanto, os autores concluíram que, o desafio de E. coli F18+ afetou a saúde intestinal dos leitões, enquanto os probióticos multiespécies parecem ser eficazes na redução ou diminuição dos efeitos da infecção por E. coli F18 +.

 

*Escore fecal, escala de 0 a 3: 0, fezes normais; 1, fezes moles; 2, diarreia leve; 3, diarreia grave, enquanto os escores fecais superiores a 1 foram considerados diarreia.

 

Para consulta do artigo completo clique aqui

SUN, Yawang; DUARTE, Marcos E.; KIM, Sung Woo. Dietary inclusion of multispecies probiotics to reduce the severity of post-weaning diarrhea caused by F18+ E. coli in pigs. Animal Nutrition, 2021.

As informações desse texto foram retiradas do artigo intitulado “Dietary inclusion of multispecies probiotics to reduce the severity of post-weaning diarrhea caused by F18+ E. coli in pigs” com autoria de:

Yawang Sun; Marcos E. Duarte; Sung Woo Kim

Department of Animal Science, North Carolina State University, Raleigh, NC, 27695, United States

 




NOVIDADES

 

REVISTA

Revista nutriNews Brasil 2 TRI 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 





Veja outras revistas



 

Cadastro Newsletter nutriNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

nutriTips
nutriNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies